Notícia

  • Lições para nossas finanças pessoais do filme “A Grande Aposta”

     

    Indicado ao Oscar, o filme “A Grande Aposta” é baseado em uma história real que explica por meio de seus personagens a crise imobiliária dos EUA, em 2008. O personagem Michael Burry (Christian Bale) é um gestor de fundos hedge convencido de que há uma bolha imobiliária no mercado imobiliário. Ele aposta contra o mercado imobiliário no momento em que os bancos acreditavam ser um mercado totalmente estável. Ele é acompanhado por outros, incluindo o idealista Mark Baum (Steve Carell), um investidor arrogante (Ryan Gosling), e um gênio financeiro recluso (Brad Pitt).

  • Comprar ou não um imóvel? Eis a questão

    A compra da casa própria é o grande sonho da maioria dos brasileiros, é sinônimo de status social e de estabilidade financeira. Quem nunca ouviu: “Olha, Fulano já comprou um apartamento, agora já está com a vida organizada”. Sim, pode ser que o Fulano esteja com a vida organizada, mas pode ser que ele ainda tenha 30 anos de parcelas de financiamento para pagar e isso se torne uma dificuldade durante esse tempo. Aquela casa ou apartamento só será sua propriedade, quando ele pagar a 360ª parcela e, caso isso não aconteça, o bem será devolvido ao banco. Uma triste realidade.

  • Educação financeira entre homens e mulheres: Quem vence?

    homensxmulheresNão é segredo para ninguém que o comportamento dos homens e das mulheres é diferente, inclusive quando o assunto é dinheiro. Em 2013, uma pesquisa, chamada “Visa’s International Barometer of Women’s Financial Literacy”, realizada com 25 mil participantes do sexo feminino e masculino, em 27 países confirma este ponto: homens e mulheres têm diferentes prioridades financeiras.

    O estudo aborda temas como: orçamento, poupança de emergência, conversa sobre o assunto com as crianças, percepção de habilidades financeiras dos jovens e a idade desejada para início de aulas formais de educação financeira.

  • O gol contra dos craques da bola

    Segue abaixo a matéria que saiu no “Diario de Pernambuco” – 15/06, sobre as financias dos atletas, educação financeira e dicas de investimentos, com a participação de Henning e William “Capita”, sócios da Redoma Capital.
    Tatiana Nascimento – Diário de Pernambuco
    Publicação: 15/06/2013 17:00 Atualização: 15/06/2013 14:11
    Jogadores ganham muito dinheiro, mas não sabem como administrar as finanças. Muitos acabam sem nada.
  • Emprego dos sonhos!!!! Eles existem???

    A responsabilidade de escolher uma carreira na qual se investirá grande energia e tempo durante a vida produtiva bate a nossa porta muito cedo, por volta dos 16, 17 e 18 anos de idade.

    Nessa fase, os adolescentes começam a se preocupar em entender o que gostam e estão mais aptos a fazer. Muitos escolhem suas futuras profissões por influência dos pais, outros por influência da mídia através de grandes personalidades e profissionais de sucesso que se tornam referência em suas áreas de atuação. E é nesse processo de escolha que enfrentam um grande dilema devido a velocidade das mudanças no mundo corporativo, tecnológico e empresarial.

  • Jovens advogados trocam escritórios tradicionais por ‘descolados’

    GUILHERME GENESTRETI

    DE SÃO PAULO

    Gravata e sala privativa deixaram de ser lei em alguns escritórios de advocacia da cidade. Jovens profissionais estão protagonizando rachas em sociedades tradicionais e abrindo as próprias firmas com propostas menos formais do que nos antigos empregos.

    “Tem muito a ver com ser jovem. As cisões vêm turbinadas por esse pessoal”, resume Guilherme Amaral, 31. Há menos de dois anos, ele e outros 69 advogados saíram da antiga banca, o Felsberg e Associados, e abriram o próprio escritório, na avenida Paulista. O AidarSBZ fica a poucos quarteirões do Felsberg, onde Amaral entrou como estagiário e ficou por dez anos.

  • Veja como será o trabalho em 2018

    Funcionários tratados como clientes por empresas, trabalhando em um espaço sem divisões e que foram contratados não pelo que sabiam fazer, mas, sim, pelo seu potencial profissional.

    É dessa forma que a consultoria PSFK Labs, de Nova York, enxerga o ambiente de trabalho em 2018. A empresa tem clientes como IBM, Microsoft e GE. Eles publicam relatórios sobre o cenário de um determinado setor -o primeiro foi sobre o futuro do varejo. No começo deste ano, lançaram um estudo chamado “O Futuro do Trabalho”, em que a consultoria identifica práticas que devem estar mais presentes nas empresas daqui a cinco anos.

  • Não existe almoço grátis!!!

    De forma geral, a máxima “não existe almoço grátis” está atrelada ao mercado financeiro. Porém, se tratando de economia e negócios de forma geral, é possível verificar que não existe almoço grátis em lugar nenhum.

    Um ótimo exemplo disso foi tratado pelo colunista do Valor Econômico, Fernando Torres, que explorou o maravilhoso mundo das milhagens.

  • Economia brasileira está virando ‘enigma’, diz ‘Financial Times’

    Será mais um caso para Sherlock Homes?

    A economia brasileira está se tornando um “enigma” por causa do nível de emprego recorde e do forte consumo interno combinado com baixo investimento, atividade industrial em queda e inflação em alta, segundo reportagem publicada nesta sexta-feira pelo diário econômico britânico “Financial Times”.