Dívida boa X Dívida ruim: vale a pena se endividar?

duvidaÉ quase impossível viver uma vida inteira sem dívidas. A maioria das pessoas não consegue pagar em dinheiro os bens mais caros (como casa ou carro). Mas, muitas pessoas perdem o controle de suas dívidas.

Gastar mais do que podemos com o uso do cartão de crédito, por exemplo, é muito fácil. Primeiro porque não precisamos usar nosso dinheiro imediatamente e depois porque podemos parcelar em várias vezes “sem juros”.

O cartão de crédito é tão fascinante que se tornou o principal meio de endividamento dos brasileiros. Uma pesquisa realizada pela Boa Vista Serviços revela que 28% das pessoas entrevistadas têm alguma restrição com cartão de crédito.

Evidentemente, fugir de dívidas a qualquer custo não é inteligente até porque isto pode esgotar nossas reservas de dinheiro para oportunidades e/ou imprevistos. O desafio é saber se a dívida faz sentido ou não.

Uma boa dívida nos permite alavancar nossos recursos limitados em mais ativos, como comprar uma casa ou expandir um negócio. A má dívida é do tipo que nos permite viver acima das nossas possibilidades (pelo menos até que as contas cheguem) e não produz quaisquer ativos. Como, por exemplo,  utilizar o cartão de crédito para comer fora na maioria dos dias ou tirar umas férias em lugar caro.

A decisão de pegar um empréstimo não depende de quanto dinheiro temos, mas de como faremos este dinheiro trabalhar a nosso favor. Como?

Vamos supor que temos investido uma quantia suficiente para adquirir um bem. Se a rentabilidade desse investimento for maior do que a taxa de juros que pagaríamos se tomássemos o empréstimo, valeria a pena tomar o empréstimo já que, dessa forma, não seria necessário esgotar os investimentos e a rentabilidade do valor investido seria suficiente para pagar os juros da dívida. Caso a rentabilidade desse investimento seja menor do que a taxa e juros da dívida contraída, o ideal seria usar o dinheiro para realizar o pagamento a vista para não incorrer em juros e ainda negociar um bom desconto.

Caso, você não tenha nenhum dinheiro para investir, pense duas vezes ao pegar um empréstimo, verifique a real necessidade de contrair um empréstimo e verifique se as parcelas desse empréstimo caberão em seu bolso.

Nos próximos posts, trarei exemplos do que são boas dívidas e dívidas ruins.

Siga-me no twitter: @fnmarques

Fagner Nogueira Marques é sócio fundador da Nogueira Marques Consultores Associados e ministra palestras sobre educação financeira para empresas e atletas, principalmente, jogadores de futebol. É bacharel em Direito pela Faculdades Metropolitanas Unidas – FMU, advogado regularmente inscrito nos quadros da OAB/SP, bacharel em Ciências Econômicas pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado – FECAP. Possui a certificação da Anbid CPA-20 e também a certificação de Agente Autônomo de Investimentos, concedida pela ANCORD e pós graduação em Psicologia Econômica pela USP (Fipecafi).

Ex-jogador de futebol, economista e advogado. Fagner Marques trabalha como consultor financeiro pessoal, faz atendimentos presenciais e por Skype e ministra palestras de educação financeira para diversos públicos.

Deixe uma resposta