Geração Y: Como os jovens podem encarar suas finanças

Semana passada, li uma matéria no jornal O Valor que trazia sugestões interessantes para as finanças pessoais dos jovens da Geração Y ou Geração do Milênio. Especialistas apresentaram soluções para as preocupações financeiras para os jovens em início de carreira em 2016 e penso que devo dividi-las com vocês.

Examine seus valores

Primeiro, você deve pensar se aquilo que você consome reflete seus valores. Caso a resposta seja positiva, isso aumenta seu grau de satisfação geral e pode te ajudar a poupar. Você pode escolher uma categoria de gastos para priorizar, uma espécie de gastos âncora (pode ser uma viagem, por exemplo).

Quando você tem um objetivo fica mais fácil poupar para conseguir realiza-lo sem aquele sacrifício que achamos que precisamos fazer para ter uma poupança.

Não seja derrotado pelo estouro do orçamento

Se de alguma forma você estourou seu orçamento, não deixe todo o resto sair do controle. Se gastou demais numa categoria de produtos, reduza os gastos em outra categoria. O orçamento deve ser sempre flexível, não deve se manter engessado.

Calcule o preço do seu tempo

Essa é a dica mais interessante apresentada na matéria. Não adianta calcular centavos a custa do seu tempo, você deve saber quanto vale o seu tempo. O cálculo funciona assim: corte três zeros do seu salário anual e divida o resultado por dois. Isso equivale a 40 horas por semana durante 50 semanas, 2 mil horas por ano. Se você ganha US$ 60 mil por ano, seu tempo vale US$30 a hora (exemplo apresentado no jornal). Então, não adianta tentar fazer coisas para economizar menos do que isso, como perder seu tempo com algum projeto que vale menos do que isso. Não perca tempo em coisas sem importância.

Automatize sua poupança

Planos de previdência privada com custos compartilhados entre patrão e funcionário podem ser uma fonte de economia, um tipo de poupança automática. Como este dinheiro não está disponível na conta corrente, ele pode não fazer falta.

Teste seu potencial para economizar

Por fim, uma especialista sugere que você economize 1% a mais no mês que vem, independente do que você esteja poupando agora. Acrescente mais 1% a cada mês durante o ano ou a cada período de alguns meses. Na verdade, esse não será um exercício para se ter uma poupança gorda e sim para que você rompa a barreira de que não consegue economizar mais.

 

Ex-jogador de futebol, economista e advogado. Fagner Marques trabalha como consultor financeiro pessoal, faz atendimentos presenciais e por Skype e ministra palestras de educação financeira para diversos públicos.

Posted in:

Deixe uma resposta