Pós fixados na moda

O ano de 2015 foi marcado pela crise política e econômica, o que resultou num período turbulento para o mercado financeiro. Nesse cenário de incertezas, a pergunta que não quer calar: Onde posso investir meu dinheiro em 2016? Uma alternativa diante desta situação são as aplicações mais conservadoras, como os investimentos com rentabilidade atrelada ao Certificado de Depósito Interfinanceiro (CDI), que protegem o investidor da instabilidade econômica do país e por serem pós-fixados, não sofrem com a oscilação das taxas de juros.

A grande maioria das aplicações pós-fixadas têm sua rentabilidade atrelada ao CDI, como: Certificados de Depósitos Bancários (CDB), Letras de Créditos Imobiliários (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) emitidas pelos bancos. O importante é saber que a taxa média do CDI é calculada com base nas operações de emissão de certificados de um dia e está sempre próxima da taxa de juros básica da economia, a Selic. O que isso quer dizer? Quer dizer que com atual elevação dos patamares da taxa Selic em 2015, atualmente com meta de 14,25% ao ano e com previsão de 16% para 2016, as aplicações atreladas ao CDI são as grandes promessas de rentabilidade para quem ainda não sabe qual caminho seguir nesse cenário de instabilidade econômica.

Outra opção para quem quiser investir em renda fixa são aplicações indexadas à inflação com vencimentos mais curtos, como: Títulos públicos Tesouro IPCA+2019 e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2020. Estas opções acumularam rentabilidades no ano de até 23 de dezembro de 13,39% e 12,67%, segundo dados do Sistema do Tesouro Direto. Vale lembrar que o ideal é carregar o título até a data de seu vencimento para obter a rentabilidade contratada.

E a famosa caderneta de poupança?

A poupança sofreu com a inflação alta, sua rentabilidade nominal foi de 8,07%, que apesar de parecer atrativa, levou o investidor a perder poder compra. Isso porque é preciso descontar a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) que, segundo estimativa do Banco Central, deve fechar o ano em 10,72%, assim o retorno real será negativo em 2,39%.

Entre com o pé direito em 2016, faça boas escolhas para garantir um futuro próspero.

Ex-jogador de futebol, economista e advogado. Fagner Marques trabalha como consultor financeiro pessoal, faz atendimentos presenciais e por Skype e ministra palestras de educação financeira para diversos públicos.

Deixe uma resposta