Saiba o que uma boa planilha de gastos pessoais deve ter e como utilizá-la

Saiba o que uma boa planilha de gastos pessoais deve ter e como utilizá-la

Um grande passo para quem está pensando em organizar as finanças pessoais e iniciar um controle financeiro, é elaborar ou adquirir uma planilha para descobrir para onde vai o seu dinheiro. Porém, para isso, é fundamental entender quais são os indicadores e dados necessários e como utilizar uma planilha de controle de gastos.

Dentro do mundo do capital, uma pessoa, quando se trata de dinheiro, tem apenas dois indicadores primários: indicadores de receitas e indicadores de despesas, que podem ser chamados de entrada e saída de dinheiro. A entrada de capital orienta o padrão de vida de uma pessoa. Para que esse padrão cresça com o passar do tempo, é preciso assumi-lo e direcionar parte do dinheiro para algum investimento, caso contrário, é forte a tendência de contrair dívidas e não conseguir ter um controle financeiro.

Indicadores de receitas 

  1. Salário – O salário é um dos principais meios de entrada de receitas da maioria das pessoas, senão o único. Mesmo um empreendedor deve separar uma parte do lucro dos negócios para fim de pró-labore – uma espécie de pagamento mensal pelo seu trabalho.
  2. Comissões – Algumas pessoas recebem comissões, especialmente quem trabalha com vendas. Se esse for seu caso, deve elencar esse indicador logo após o salário.
  3. Outros – Se existem outras entradas de receitas esse é o local para colocar. Pode, inclusive, citar receitas com periodicidade diferentes. Ex: férias e décimo terceiro. No entanto, o cálculo do padrão de vida deve ser sempre feito a partir das receitas fixas.

Indicadores de despesas

Esses indicadores são um pouco mais complicados de controlar, pois parece que a cada dia surge uma despesa nova. Por isso, você deve montar uma planilha com setores de despesas necessárias. Cada setor corresponde a uma coluna da planilha. No fim aparece a soma de todos os gastos.

  1. Alimentação – Essa é uma premissa básica de sobrevivência. Tudo o que se refere à alimentação deve aparecer nessa coluna;
  2. Moradia – Isso independe se você paga aluguel ou possui casa própria. Os gastos com moradia devem entrar nessa coluna. Inclua também a tarifa de água, esgoto e eletricidade;
  3. Formação – Todos os gastos referentes a sua formação, como aulas particulares, cursos, transporte para deslocamentos devem aparecer aqui;
  4. Saúde – Planos de saúde, exames particulares, consultas devem constar nessa lista;
  5. Lazer – Essa é a parte que deve listar todas as atividades de lazer que envolvem algum gasto. Ingressos para cinema e futebol, assinatura de TV a cabo, internet, jogos e todas as atividades recreativas;
  6. Emergências e oportunidades– Essa coluna já deve ser decida a priori. No início do mês, é preciso separar um montante de tudo o que você ganha para possíveis emergências como um tratamento de saúde não disponível na rede pública e que não é coberto pelo plano de saúde ou ainda um problema mecânico no carro. Aqui também deve ser reservado o dinheiro para possíveis oportunidades, como a compra de um bem de de maior valor à vista ou oportunidades de investimentos. Veja que, se caso não contar com essa reserva, muito provavelmente você fará alguma dívida;
  7. Investimentos – Embora possa parecer contraditório considerar um investimento como indicador de despesas, é preciso entender que é uma saída de dinheiro e o objetivo é, exatamente, descobrir para onde está indo seu dinheiro. Esse montante deve ser separado ja no inicio do mês como um pagamento para você. Nada de utilizar sobras para investir, até porque é bem provável que nem sobre dinheiro.

Dicas para utilizar uma planilha de controle financeiro

  • Assim que você terminar os lançamentos de receitas e despesas deve contar com uma célula que calcule automaticamente o total de cada indicador;
  • Todos os lançamentos precisam ser feitos mensalmente tomando cuidado para não se esquecer de nenhum item e nem dos centavos referentes a cada despesa. Uma das formas mais seguras de fazer um controle rígido é atualizar os lançamentos diariamente;
  • Elabore uma previsão de gastos e veja se consegue se manter dentro do previsto;
  • Com o que sobrar da receita mensal você poderá utilizar para fazer algo que lhe de prazer, uma viagem ou um jantar com a família por exemplo.

Depois de elencar todos os gastos pessoais, você vai começar a perceber para onde estão indo as receitas. Dessa forma, irá descobrir que alguns gastos são extremamente desnecessários e é possível sobreviver sem eles. Ao decidir pelo corte de custos, a tendência é acabar com as dívidas e aumentar o fluxo de dinheiro na coluna de investimentos e ter mais sobras para utilizar da forma que desejar. Lembre sempre de seguir a ordem de utilização do dinheiro em gastos básicos, investimentos e recompensa. Essa ultima é todo o dinheiro utilizado para o lazer ou alguma aquisição.

Esses investimentos retornarão pra você através da rentabilidade de um determinado período. Com isso, o poder de barganha aumentará e, consequentemente, conseguirá se dar ao luxo de alguns prazeres calculados, sem a necessidade de se manter endividado. A palavra de ordem para ter um controle adequado das finanças é planejar. Sem um planejamento você dificilmente conseguirá transformar gastos desnecessários em investimentos.

Caso tenha alguma dúvida ou pretende saber mais sobre planejamento deixe um comentário. Teremos prazer em ajudá-lo!

Fagner Nogueira Marques é sócio fundador da Nogueira Marques Consultores Associados, atua como consultor e planejador financeiro pessoal e ministra palestras sobre educação financeira para empresas e atletas, principalmente, jogadores de futebol. É bacharel em Direito pela Faculdades Metropolitanas Unidas – FMU, advogado regularmente inscrito nos quadros da OAB/SP, bacharel em Ciências Econômicas pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado – FECAP. Possui a certificação da Anbid CPA-20, a certificação de Agente Autônomo de Investimentos, concedida pela ANCORD e extensão em Psicologia Econômica pela USP (Fipecafi).

Ex-jogador de futebol, economista e advogado. Fagner Marques trabalha como consultor financeiro pessoal, faz atendimentos presenciais e por Skype e ministra palestras de educação financeira para diversos públicos.

Deixe uma resposta